Escolha uma Página

Governo do Ceará oficializa mudança no projeto da Usina de Dessalinização do Ceará. Ainda localizada na Praia do Futuro, ela foi movida em 560 metros e dutos não vão mais cruzar com estruturas de telecomunicações.

O governador do Ceará, Elmano de Freitas (PT), anunciou na tarde desta sexta-feira, 14, a mudança do local da usina de dessalinização da Praia do Futuro. O projeto, movido em 560 metros do local original, foi considerado alinhado aos pré-requisitos de segurança em relação às redes de telecomunicações pelo Gabinete de Segurança Institucional, MCOM, pela Anatel e por operadoras.

A solenidade durou 1h30. Participaram dela, além do governador, representantes do GSI, Anatel, SPU, MGI, Ministério da Defesa, Marinha do Brasil, TelComp e Conexis.

Havia expectativa de que Freitas anunciasse um projeto de integração tecnológica para o Ceará, com a finalidade de atrair data centers sustentáveis para a região. Mas o discurso foi mais sóbrio, e ele contou que o terreno antes reservado à usina deve ser alvo de investimentos relacionados a tecnologia.

A ideia é implantar ali um centro de educação tecnológica para formação profissional. Este investimento deve contar com apoio das operadoras e empresas de data centers, convergindo com outra iniciativa, o lançamento de um campus do ITA na cidade. Com isso, amplia-se  a formação de mão de obra qualificada em Fortaleza.

No evento, os representantes dos órgãos federais parabenizaram Freitas pela decisão. A partir de agora, o consórcio que vai construir a usina fará a adaptação do projeto e buscar todas as licenças necessárias à construção no novo local.

Pelo novo projeto, a tubulação da usina está alinhada ao emissário de água localizado na Praia do Futuro. Os dutos de captação de água agora ficam distantes da rota dos cabos na água e em terra.

Segundo fontes, Elmano de Freitas destacou que a segurança hídrica do Ceará é relevante, o que justifica a construção de uma usina dessalinizadora e mostrou projeções de escassez. Disse considerar que são duas infraestruturas críticas, mas que compreendia a importância do hub de cabos, e que por isso seria positivo alterar o projeto original.

O setor de telecom respira aliviado, uma vez que a nova distância está em linha com critérios internacionais de segurança de redes de telecomunicação. “A gente sai satisfeito, enquanto TelComp representando as empresas de cabos submarinos. A lição aprendida é que há necessidade de designar as áreas onde estão estas infraestruturas áreas de segurança nacional para que não se construa próximo a cabos. Sai todo mundo vitorioso, deixa de existir qualquer risco, e o estado segue o projeto da Usina”, resume Luiz Henrique Barbosa, presidente executivo da Telcomp.

Em nota, a Anatel elogiou: “A Anatel parabeniza o governador Elmano de Freitas por essa decisão, que protege uma infraestrutura essencial para a internet no país e, ao mesmo tempo, mantém os investimentos em tecnologia atraídos por essa infraestrutura. Além disso, a nova localização permitirá a construção da Usina de Dessalinização, um projeto crucial para atender às necessidades da população do Estado do Ceará”.

A Conexis também se manifestou. “A Conexis parabeniza o governador por ter mantido aberto o diálogo sobre o projeto e entende, em uma avaliação preliminar da proposta apresentada, que esse diálogo entre o setor de telecom e o governo do Ceará está levando a um bom termo. Isso garantirá os benefícios da construção da usina para a população de Fortaleza, assim como manterá segura a operação dos cabos que chegam à Praia do Futuro e que garantem a conexão de internet de milhões de brasileiros e o desenvolvimento sócio-econômico, não só de Fortaleza, mas de todo o Brasil”.

Fonte: Tele.Síntese